fbpx

Google abandona projeto militar com o Pentágono

11

Foto Michael Short/Bloomberg


“Nós acreditamos que a Google não deve estar no negócio da guerra” – Sundar Pichai

Após vários protestos e uma carta assinada por milhares de funcionários da Google, a empresa finalmente anunciou abandonar suas ramificações militares junto ao Pentágono, mais especificamente, o Projeto Maven.

O envolvimento militar trouxe revolta diante da utilização de inteligência artificial para interpretar imagens e poder ser usado para melhorar a mira de ataques de drones. A Califórnia, berço da Google, é conhecida por seguir a agenda pró desarmamento e os Googlers seguem a mesma linha de pensamento.

A carta foi assinada por mais de 3.100 colaboradores da empresa, refletindo ainda mais o embate de culturas entre o Vale do Silício e o Governo Federal Americano, que tende à usar cada vez mais tecnologias de ponta, como inteligências inteligência artificiais, para reforçar seus usos militares.

De toda forma, a colisão teve sucesso e no início de junho o CEO da Google, o indiano Sundar Pichai, anunciou o abandono do bilionário Projeto Maven e o compromisso para nunca mais a titã se envolver em atividades militares de qualquer tipo.

Assim, o contrato bilionário para serviços de cloud fica em aberto e já teve seu deadline adiado. Agora outras empresas como a Microsoft e a Amazon Web Services devem disputar pelo serviço que inclui até suporte em campo de batalha.

Lucas Teles

Lucas Teles

Diretor de Inovação na CRIARH Consultoria e apaixonado por como a criatividade transforma e atua na visão de pessoas e negócios.

Gostou? Compartilhe o post agora!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Você também pode gostar...