Insights

// Escrito por Lucas Teles

Facebook vazou informações de usuários para mais de 60 empresas

Facebook vazou informações de usuários para mais de 60 empresas

Zuckerberg em depoimento no senado dos EUA. (Leah Millis/Reuters)


O famoso jornal The New York Times declarou ontem que o Facebook vazou informações de seus usuários sem suas permissões com mais de 60 empresas parceiras desde 2012. Sem consentimento claro, manufatureiros de dispositivos (como smartphones) tiveram acesso a dados de amigos de usuários. Titãs como Amazon, Apple, Microsoft e Samsung se encontram na lista das empresas beneficiadas por Zuckerberg.

A empresa, claro, declarou que não dividiu as informações de amigos de usuários foi compartilhada sem permissão, contudo, o próprio Facebook havia declarado anteriormente não dividir informações dessa natureza.

As informações vazadas foram dados como religião, inclinação política, status de relacionamento e eventos, e podiam ser acessadas mesmo após o Facebook cortar o fluxo de compartilhamento com as parceiras.

A empresa se defende e diz que não houve abuso das informações por parte dos seus parceiros, e afirma que dados valiosos, como de fotos, só foram acessados caso o usuário permitisse o compartilhamento delas com amigos da rede social.

Uma forma mais bonita de dizer: Vazamos quase todos seus dados para empresas. Afinal, quem não divide suas fotos pessoais com os amigos do Facebook?

O mais incrível é: A empresa continua a fazer isso até hoje, com apenas algumas parcerias encerradas em abril.

Mesmo após o recente caos interno provocado pelo escândalo da Cambridge Analytica, a presença de seu CEO e fundador no senado americano, uma chuva de mídia negativa para a marca, e após Mark-inhos- Zuckerberg enfrentar uma tensa reunião em companhia de acionistas, a qual teve até a um avião sobrevoando o local carregando a frase “YOU BROKE DEMOCRACY” (VOCÊ QUEBROU A DEMOCRACIA), a firma continuamente quebra a privacidade de seus usuários.

Mais problemático ainda, essa informação vaza menos de duas semanas após o GDPR estar em vigor na Europa, lei que protege os dados dos cidadãos da união européia contra abusos no uso de informação. O Facebook é tão desonesto na gestão de informação de seus usuários que para fugir dessa legislação, transferiu a responsabilidade de 1.5 bilhões de usuários europeus para seu escritório na Califórnia. Tudo isso para evitar a lei que promete multas altíssimas aos rebeldes, por exemplo, caso o Facebook quebrasse a legislação o prejuízo seria em torno de $1.6 bilhão.

Difícil – ou impossível – é confiar na marca para cuidar de nossas informações após um 1º semestre tão revelador.

ACOMPANHE NOSSAS NOVIDADES

Receba em seu e-mail nossos insights em criatividade, inovação, liderança e cultura empresarial.

Curtiu? Mande o artigo para seus amigos!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Você também pode gostar