Insights
// Escrito por Lucas Teles

Liderança situacional: O que é e 5 dicas para praticar

Liderança situacional

– Quem me dera ser uma pessoa criativa.
– E és. És excelente em criar situações difíceis.

(‘A janela indiscreta’ de Alfred Hitchcock)

Seja em situações difíceis ou não, um líder deve saber como moldar seu estilo de liderança para cada momento específico.

A liderança situacional é uma estrutura que ajuda os líderes a fazerem exatamente isso.

A teoria da liderança situacional, ou SLT (Situational leadership theory) , postula que não há uma melhor maneira de liderar e que a abordagem mais eficaz depende da situação. A teoria foi inicialmente proposta pelos professores de administração Paul Hersey e Ken Blanchard em 1969.

Parece muito provocador afirmar que não exige uma abordagem única para a liderança, você não acha?

Então, continue a sua leitura para saber mais sobre esse modelo de liderança responsável por trazer benefícios para toda uma organização.

Além de tornar mais rápidos os processos e ainda aumentar a qualidade de vida dos profissionais de uma empresa.

O que é liderança situacional?

Quando o assunto é liderança, existem diversos assuntos que envolvem esse mundo tão complexo. Desde a execução de ótimas pautas de reuniões até elaborar um excelente planejamento organizacional.

Porém, por mais contraintuitivo que pareça, a liderança situacional se baseia em não se apegar a um único modelo de liderança a ser seguido.

O objetivo da liderança situacional é buscar o estilo de liderança mais adequado para cada situação, ou seja, aquele que melhor atenda às necessidades das pessoas que serão guiadas pelo líder.

Em outras palavras, não se trata de mudar quem você é como um líder, mas de modificar seu comportamento de acordo com o que cada situação pede de você.

E essa modificação é responsável por produzir resultados melhores do que se você tivesse escolhido agir da mesma forma sempre.

Não existe nada absoluto, tudo é relativo. Por isso devemos julgar de acordo com as circunstâncias.
– Dalai Lama

Quais os benefícios da liderança situacional?

Há muitos benefícios da liderança situacional. Afinal de contas, é um modelo que tem sido bem sucedido por mais de 50 anos.

Você consegue imaginar quantas organizações aumentaram sua produtividade usando os princípios deste estilo de liderança?

As vantagens estão principalmente relacionadas ao impacto em uma equipe, como por exemplo:

  • Melhoria no desempenho dos funcionários;
  • Redução da rotatividade dos funcionários;
  • Aumento da satisfação dos funcionários;
  • Melhoria do clima organizacional.

Além disso, a liderança situacional também oferece outros benefícios para o próprio líder, como por exemplo:

  • Maior agilidade na liderança de equipes;
  • Habilidade de identificar o estilo de liderança/método mais adequado para cada situação;
  • Maior facilidade de integração de novos funcionários;
  • Melhorias na comunicação da equipe.

Como você já viu, os benefícios da liderança situacional não são poucos.

Exatamente por ser tão relevante, que a liderança situacional se tornou atemporal. Ajudando qualquer organização a aumentar a sua produtividade e eficiência.

Os 4 estilos da liderança situacional

Estilos de Liderança Situacional

De acordo com a teoria da liderança situacional, não existe uma única liderança ideal. Porém, um líder situacional usa um dos quatros estilos de liderança que lhe proporcionam o sucesso que ele busca.

Os quatro estilos de liderança são:

  1. Dizer, Direcionar ou Orientar;
  2. Treinar ou Explicar;
  3. Participar, Facilitar ou Colaborar;
  4. Delegar, Capacitar ou Monitorar.

1. Dizer, direcionar ou orientar

Este estilo de liderança é baseado no conhecimento e experiência do líder.

O líder fornece instruções e expectativas claras para os seguidores e estabelece prazos para as tarefas.

Nesse estilo de liderança, as perguntas realizadas pelo líder são guiadas pela clareza dos processos, como por exemplo:

  • “Ficou claro as instruções que eu acabei de passar?”

Este estilo de liderança é mais eficaz quando:

  • Há pouco tempo para a realização de uma tarefa.
  • A atividade ou processo é passado para um colaborador que possua experiência.
  • Na execução da tarefa em questão, os funcionários são inseguros ou estão desmotivados para tentar.

Esse estilo de liderança requer supervisão do líder com o propósito expresso de identificar quaisquer sinais de progresso incremental.

2. Treinar ou explicar

Este estilo de liderança foca no desenvolvimento das habilidades e conhecimentos dos seguidores para que eles possam eventualmente completar tarefas de forma independente.

O líder fornece orientação e apoio, mas também permite que os seguidores tomem decisões e assumam responsabilidades para seu próprio trabalho.

Para isso, o líder determina:

  • O que é preciso fazer;
  • Como o seguidor precisa fazer;
  • Quando a atividade precisa ser concluída.

Porém, tudo isso é feito acompanhado de uma discussão entre o líder e o colaborador sobre o motivo dessas etapas serem efetuadas.

Este estilo de liderança é mais eficaz quando:

  • Os seguidores são inexperientes ou não possuem os conhecimentos necessário ou habilidades para completar uma tarefa;
  • Há tempo suficiente para completar uma tarefa;
  • É necessário confiança e motivação para o processo de desenvolvimento de habilidades orientado pelo líder.

Assim como o Estilo 1, o uso desse modelo de liderança depende de observações feitas pelo líder e discussões sobre as atividades realizadas.

3. Participar, Facilitar ou colaborar

Este estilo de liderança é baseado na confiança do líder na capacidade dos seguidores de completar uma tarefa.

O líder fornece incentivo e apoio emocional, mas não se envolve nas especificidades da tarefa.

Nesse modelo, o seguidor do líder é o seu “próprio líder”.

Este estilo de liderança é mais eficaz quando:

  • É necessário criar um alinhamento;
  • Precisa provar a proficiência;
  • É necessário avaliar o desenvolvimento do seu colaborador.

Para fomentar este tipo de liderança, você deve estar acessível ao funcionário e solicitar consultas abertas que ajudem o seguidor a identificar a fonte do problema de desempenho e a encontrar uma solução viável.

4. Delegar, Capacitar ou Monitorar

Este estilo de liderança dá aos seguidores a responsabilidade e autoridade para completar uma tarefa de forma independente.

O líder fornece orientação, se necessário. Mas permite que os seguidores tomem decisões e assumam a responsabilidade por seu próprio trabalho.

Este estilo de liderança é mais eficaz quando:

  • Os seguidores são experientes e têm os conhecimentos ou habilidades para completar uma tarefa;
  • É preciso criar/melhorar o domínio e a autonomia das tarefas;
  • Existe o comprometimento com a comunicação, maturidade e excelência.

Para estimular esse estilo de liderança, experimente fazer perguntas do tipo:

  • “Quais mudanças necessárias você acha que devemos adotar?”

A liderança situacional é um estilo de liderança adaptativa que envolve a adequação do estilo do líder ao nível de desenvolvimento dos seguidores.

Os quatro estilos de liderança descritos acima não são mutuamente exclusivos. Um líder pode usar mais de um estilo, dependendo da situação.

O importante é que um líder é capaz de adaptar seu estilo à situação, a fim de ser mais eficaz.

A abordagem de um líder deve ser ditada pelas nuances de cada situação que ele encontra.

Os 4 níveis de maturidade da equipe

Maturidade, substantivo feminino. Estado do que atingiu o seu desenvolvimento completo: maturidade comportamental, mental etc.

Agora que você já está ciente sobre os estilos da liderança situacional, você precisa saber que não é só o cenário e as circunstâncias que vão definir o estilo de liderança.

A maturidade da equipe também deve ser levada em consideração para que a sua liderança seja assertiva e no melhor momento.

A maturidade do capital humano tem ligação direta com a qualificação e efetividade da equipe. Desde em momentos de brainstorming até para gerir uma situação caótica.

Conheça como identificar e enquadrar os níveis da maturidade da sua equipe:

Níveis de maturidade da Liderança Situacional
  • P1 (baixa vontade e baixa capacidade): quando os colaboradores não tem o conhecimento técnico e as habilidades comportamentais suficientes para agir de forma autônoma. Esse nível de maturidade está ligado geralmente a colaboradores novos no ambiente de trabalho ou então quando não estão preparados e estimulados para tomar decisões por conta própria.
  • P2 (alta vontade e baixa capacidade): Se caracteriza quando os colaboradores já se encontram em um nível mais experiente e possuem motivação. Mas ainda necessitam de apoio na realização das atividades.
  • P3 (baixa vontade e alta capacidade): É o nível de maturidade de quando os funcionários já possuem experiência, habilidades técnicas e comportamentais, conseguem realizar o trabalho com autonomia mas estão desmotivados ou não tem confiança para assumir responsabilidade.
  • P4 (alta vontade e alta capacidade): É o maior nível de maturidade, estágio em que o colaborador está capacitado e motivado suficiente para realizar o trabalho com autonomia.

3 Exemplos da liderança situacional

Aqui estão alguns exemplos de líderes que são referência em liderança situacional para você se inspirar:

Phil Jackson

Um dos maiores treinadores da história da NBA, Phil Jackson ganhou 11 campeonatos.

As equipes de sucesso que Phil liderou incluíam as maiores estrelas do basquete mundial. Como Michael Jordan, Saquille O’Neal e Kobe Bryant (temos um artigo que citamos a Mamba Mentality, o modelo mental desenvolvido por Kobe Bryant).

Ao lidar com talentos da elite, era necessário uma abordagem de liderança diferente aos membros da equipe, sempre visando decisões que impulsionam ao sucesso.

Para isso, Jackson precisava apoiar os jogadores enquanto ainda lhes dava uma direção clara e objetiva.

As habilidades de liderança situacional de Jackson são evidentes ao analisar sua abordagem para treinar algumas das maiores estrelas do esporte.

Michael Jordan é conhecido por ser um membro da equipe trabalhador e dedicado, o que significa que Jackson adotou uma abordagem de liderança delegativa com ele.

No entanto, Shaquille O’Neal já era uma estrela estabelecida com um compromisso mediano com sua equipe quando se juntou ao Lakers, o que significa que uma abordagem de gestão participativa era mais apropriada.

George Patton

Como um dos líderes mais famosos da Segunda Guerra Mundial, o general George Patton tornou-se uma figura quase mítica.

Patton era mais do que um comandante militar de sucesso: ele era um excelente analista que escreveu vários ensaios sobre estratégia e liderança de guerra.

O conceito chave que surgiu destes trabalhos, que lançariam as bases para anos de preparação militar, era que uma organização deve sempre avaliar uma situação e se adaptar para vencer uma guerra.

Patton aplicou essa abordagem ao seu estilo de liderança, incorporando muitos dos princípios mais importantes da liderança situacional.

Alguns de seus conselhos mais importantes foram usar a cooperação e a colaboração para liderar uma equipe, ganhar a confiança das equipes pela motivação positiva e sempre ser flexível com diferentes grupos.

Jack Stahl

Como presidente da Coca-Cola de 1978 a 2000, Jack Stahl foi encarregado de liderar uma organização de sucesso e garantir que ela permanecesse no topo.

Em uma entrevista sobre suas prioridades de liderança, Stahl observou que ele considerava os maiores líderes como flexíveis e capazes de avaliar um cenário e determinar a quantidade de envolvimento exigido deles.

Stahl diz que aprendeu isso com um problema que ocorreu no início de sua carreira. Solicitado a preparar um prospecto para uma oferta pública, Stahl delegou o projeto sem determinar corretamente a quantidade de supervisão necessária.

O projeto falhou, e Stahl percebeu que precisava saber como liderar em cada situação. Esse tipo de liderança situacional ativa é importante para liderar equipes diferentes da melhor maneira possível.

5 Dicas práticas para ser um líder situacional

Liderança situacional dicas práticas

Agora que já vimos alguns exemplos de liderança situacional em ação, vamos explorar algumas dicas que você mesmo pode usar para se tornar um líder melhor.

1. Definir a tarefa e o objetivo

O primeiro passo é ter certeza de que você tem uma compreensão clara da tarefa ou objetivo em mãos.

Quando você souber o que precisa ser feito você pode começar a pensar sobre qual estilo de liderança será mais eficaz.

Separe ideias, anote e discuta com sua equipe para que todos fiquem na mesma página.

2. Avalie as habilidades e o comprometimento da sua equipe

O próximo passo é avaliar as habilidades e o nível de comprometimento da sua equipe. Isto o ajudará a determinar qual estilo de liderança é mais apropriado.

Se a sua equipe é altamente qualificada e comprometida, então um delegar um estilo de liderança voltado para a autonomia pode ser o melhor.

Entretanto, se sua equipe não for tão habilidosa ou comprometida, então um estilo de liderança voltado para o treinamento pode ser necessário.

O segredo é observar como cada um se comporta!

3. Comunique-se claramente

Uma vez que você tenha determinado qual estilo de liderança usar, é importante comunicar claramente as suas expectativas à sua equipe.

Isso os ajudará a entender o que se espera deles e permitirá avaliar o progresso deles.

4. Seja flexível

Uma das coisas mais importantes a ser lembrada como líder é ser flexível. As situações podem mudar rapidamente e você precisa ser capaz de adaptar seu estilo de liderança de acordo com elas.

Lembre-se: Não existe um modelo único a liderança a ser seguido!

5. Avalie regularmente

Por último, é importante avaliar regularmente o progresso de sua equipe e fazer os ajustes necessários ao seu estilo de liderança. Isto o ajudará a garantir que você esteja usando a abordagem de liderança mais eficaz para a situação.

A liderança situacional é uma habilidade necessária para qualquer líder. Ela permite que os líderes sejam flexíveis e adaptem seu estilo às necessidades da equipe.

Ao compreender os quatro estilos de liderança situacional e os quatro níveis de maturidade da equipe, você pode começar a desenvolver seu próprio estilo de liderança situacional.

Dicas práticas como estar atento ao seu ambiente, saber quando dar direção e quando recuar, e usar reforços positivos o ajudarão a se tornar um líder situacional de sucesso.

Para mais informações sobre liderança situacional ou outros tópicos relacionados a negócios e administração, visite nosso site. Temos uma variedade de artigos que podem ajudá-lo a crescer como um líder e gerente.

Até a próxima!

curso de criatividade

Artigo por

Lucas Teles
Lucas é o Head de Inovação da CRIARH. Mas mais importante, ele é o maior apaixonado pela empresa.

Se torne um líder melhor, em minutos

Receba semanalmente passos a passos práticos para ser um melhor líder.
Ao se inscrever você concorda com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.

Curtiu? Mande o artigo para seus amigos!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Tabela de conteúdo
Ao se inscrever você concorda com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.

Outros artigos para você

Cookie
Ao navegar pelo nosso site, você aceita a nossa política de cookies.