Práticas
// Escrito por Lucas Teles

Estudo de viabilidade: O que é e como fazer

Estudo de viabilidade

Tudo começa com uma ideia.

Você já parou para refletir do que seria a sua vida se ninguém tivesse tido a ideia de desenvolver uma máquina analítica capaz de armazenar informações, vulgo computador?

Ou qualquer outra invenção ou processo que existe na sua vida com o objetivo de facilitá-la. Sem sombra de dúvidas, sem essas inovações, sua vida seria totalmente diferente.

Ótimas ideias, como o computador, são responsáveis por trazer grandes contribuições para o mundo.

Porém, do que adianta uma ótima ideia, se ela não é viável?

Não adianta de nada. A ideia nunca será massificada ao ponto de ajudar a vida de várias pessoas. Ela apenas ficará na prateleira de ideias bonitinhas, mas que nunca foram nada além disso.

Mas isso não significa que você tenha que “economizar nas ideias”, muito pelo contrário.

O que você precisa é entender como você conecta sua ideia, que está em um plano imaginário, no mundo real. O melhor caminho para isso é através do estudo de viabilidade, e eu vou te mostrar que pode ser fácil.

O que é um estudo de viabilidade de projetos?

Um estudo de viabilidade de projeto é uma análise financeira de uma ideia ou um projeto.

Este tipo de estudo avalia o potencial do projeto ser lucrativo ou não. E geralmente é feito em uma planilha, como uma de Excel.

Em outras palavras, ele responde a duas perguntas essenciais sobre a ideia do seu projeto:

  • Este projeto é viável?
  • Quanto esse projeto pode me dar de retorno?

Bom, nesse momento você talvez esteja se perguntando, ou até mesmo meio desacreditado, refletindo:

“Existem infinitos tipos de áreas e mercados. Cada nicho tem sua peculiaridade. Como que duas perguntas vão resolver minha dor ou dúvida sobre os meus projetos?”

É importante ressaltar que há vários tipos de estudos de viabilidade, mas em geral, todos abordam as mesmas questões. Afinal, o lucro é importante e necessário em qualquer nicho e mercado.

O estudo de viabilidade de projeto pode ser usado de diferentes maneiras e para diferentes propósitos, geralmente mudando apenas o foco e a profundidade da análise.

Nessa etapa em busca do lucro, o estudo de viabilidade devem levar em consideração esses três tópicos:

  1. Estudo de pré-viabilidade
  2. Estudo de viabilidade operacional
  3. Estudo de viabilidade estratégica

Estudo de pré-viabilidade

Um estudo de pré-viabilidade é o primeiro passo no processo do estudo de viabilidade.

Este tipo de estudo é normalmente aplicado a projetos com um alto nível de incerteza, ou seja, projetos nos quais há muitas incógnitas e/ou a informação disponível é insuficiente.

O objetivo de uma pré-viabilidade de estudo é coletar o máximo de informações possíveis sobre o projeto a fim de reduzir o nível de incerteza e identificar os riscos mais importantes.

Estudo de viabilidade operacional

Um Estudo de Viabilidade Operacional é uma análise de uma ideia de projeto a partir de uma perspectiva operacional.

Ou seja, vai medir a viabilidade levando em conta tudo necessário para produzir o seu produto ou serviço, desconsiderando outros custos, como o custo de oportunidade.

O objetivo principal deste tipo de estudo de viabilidade é avaliar os fatores operacionais que podem levar ao sucesso do projeto, ou seja, verificar se o projeto pode ser executado como planejado, levando em conta todos os seus aspectos.

Estudo de viabilidade estratégica

Um Estudo de Viabilidade Estratégica é uma análise de uma ideia de projeto a partir de uma perspectiva estratégica.

Ou seja, vai medir se o projeto é coerente com os objetivos e rumos da empresa.

Quais são os fatores que tornam um projeto viável?

Mas afinal, o que difere uma ideia viável para uma ideia não viável?

Há vários fatores que podem influenciar um estudo de viabilidade de projeto. Os mais importantes são os seguintes:

Objetivos

O projeto deve ter objetivos claros e executáveis.

Recursos

O projeto deve ter os recursos humanos, financeiros e materiais necessários para a sua execução.

Tempo

O projeto deve ser capaz de ser concluído dentro de um período específico.

Orçamento

O projeto deve ser feito dentro de um orçamento específico.

Outras viabilidades

O projeto deve ser técnica, econômica, legal e politicamente viável.

Por que fazer o estudo de viabilidade de projeto?

Como você já deve ter percebido, o estudo de viabilidade reduz o risco de falha, e isso é crucial no desenvolvimento de qualquer projeto e ideia.

Com esse estudo, tudo é levado em consideração, desde a viabilidade técnica até a viabilidade econômica. Além de identificar e avaliar os riscos do que envolve o todo, tudo isso antes que você se comprometa com tempo e recurso.

Quando você tenta inovar em um projeto, há 3 pilares que você prestar atenção de acordo com o Design Thinking. São eles:

  • Viabilidade
  • Desejabilidade
  • Praticidade

Ou seja, uma análise de viabilidade de projetos atinge uma questão central para criar projetos inovadores que dão mais resultado no mercado.

Um estudo de viabilidade pode te ajudar em:

  1. Identificar potenciais problemas e riscos associados com o projeto;
  2. Identificar possíveis soluções para estes problemas e riscos;
  3. Evoluir sua ideia criativa em uma ideia inovadora;
  4. Tomar decisões informadas sobre se você deve ou não prosseguir com o projeto;
  5. Desenvolver um plano de como proceder com o projeto, se você decidir ir em frente e como seguir esse passo.

9 Etapas para fazer um estudo de viabilidade de projeto

9 etapas para um estudo de viabilidade

Não há um modelo único para se fazer um estudo de viabilidade. Os passos envolvidos irão variar dependendo do tipo de projeto, dos recursos disponíveis, custos específicos e dos objetivos do estudo.

Entretanto, há alguns passos comuns que são normalmente seguidos em qualquer estudo de viabilidade. Estes são:

1. Definir os objetivos do estudo

O primeiro passo é definir os objetivos do estudo. Isto o ajudará a concentrar seus esforços e assegurar que o estudo seja relevante para suas necessidades.

2. Identificar as partes interessadas

O próximo passo é identificar as partes interessadas no projeto. Estas são as pessoas ou organizações que têm interesse no projeto.

Haverá divisão dos lucros? Qual a margem mínima esperada?

3. Identificar as restrições

Muitas vezes haverá restrições que devem ser consideradas ao avaliar a viabilidade de um projeto.

Estes podem incluir restrições de tempo, restrições orçamentárias, materiais ou legais.

4. Identificar os custos

Uma parte central do estudo de viabilidade de projetos são os custos. Você deve elaborar todos os custos fixos e variáveis, assim como as taxas e impostos que ocorrerão na execução do projeto.

Também inclua os custos de mão de obra.

5. Identificar os riscos

Outro fator importante a ser considerado são os riscos associados com o projeto. Estes podem incluir riscos técnicos, riscos financeiros ou o risco de não utilizar a ferramenta mais apropriada para tal tomada de decisão, por exemplo.

Sempre deixe uma margem para, até no cenário mais pessimista, o projeto dar certo.

6. Colete dados

Uma vez identificados os objetivos, as partes interessadas, as restrições e os riscos, o próximo passo é coletar dados. Estes dados podem vir de uma variedade de fontes, tais como pesquisas, entrevistas ou pesquisas secundárias.

7. Analisar os dados

Após a coleta dos dados, eles devem ser analisados e cruzados a fim de avaliar a viabilidade do projeto.

8. Prepare um relatório

Após os dados terem sido analisados, um relatório de viabilidade deve ser preparado. Este relatório delineará os resultados do estudo e fará recomendações se você deve ou não prosseguir com o projeto.

9. Tomar uma decisão

Com os cenários otimistas e pessimistas em mãos, o passo final é tomar uma decisão sobre se deve ou não prosseguir com o projeto. Esta decisão deve ser baseada nos resultados do estudo de viabilidade.

Um estudo de viabilidade é uma ferramenta importante para avaliar o potencial financeiro de um projeto. Seguindo os passos descritos acima, você pode assegurar que sua análise de viabilidade de projetos seja um sucesso.

4 Exemplos de estudos de viabilidade de projetos

Para você se apoiar ter um norte, utilize esses 4 exemplos para avaliar a viabilidade do seu projeto:

Payback simples

O payback simples é uma maneira rápida e fácil de avaliar a viabilidade de um projeto. É simplesmente a quantidade de tempo que levará para o projeto se pagar.

Por exemplo, vamos dizer que você está considerando um novo projeto que custará R$100.000. Espera-se que o projeto gere R$30.000 em receita anual.

Usando o payback simples, podemos calcular que o período para este projeto se pagar é de 3,33 anos.

Embora o payback simples seja fácil de calcular, ele tem uma série de limitações.

Por exemplo, ele não leva em conta o valor do dinheiro em termos de tempo (não desconta inflação). Além disso, ele só olha para os fluxos de caixa no curto prazo e não considera os benefícios de longo prazo do projeto.

Apesar de suas limitações, pode ser uma ferramenta útil para avaliar rapidamente a viabilidade de projetos de curto prazo.

Payback descontado

O desconto de retorno é uma forma mais sofisticada de avaliar a viabilidade de um projeto.

Ele leva em conta a inflação e analisa os fluxos de caixa do projeto durante toda a vida do projeto.

Para calcular o payback descontado, nós precisamos primeiro descontar os fluxos de caixa para o seu valor atual. Isto é feito usando um desconto de taxa.

A taxa de desconto é a taxa de retorno que poderia ser obtida em um investimento com risco semelhante.

Por exemplo, digamos que estamos considerando um projeto com os seguintes fluxos de caixa:

Ano 0: -R$100.000
Ano 1: R$30,000
Ano 2: R$30,000
Ano 3: R$30,000

Usando uma taxa de desconto de 10%, o valor atual desses fluxos de caixa seria:
Ano 0: -R$100.000
Ano 1: R$27,000
Ano 2: R$24,300
Ano 3: R$21,930

O período de desconto de retorno é o tempo que levará, pelo valor atual dos fluxos de caixa, para igualar o investimento inicial.

No mesmo exemplo, levaria 3,48 anos para que o projeto pagasse seu investimento inicial.

O payback descontado é uma forma mais precisa de avaliar a viabilidade do projeto do que o simples reembolso. Entretanto, ele tem a mesma limitação em que apenas olha para o fluxos de caixa de curto prazo. Ele não considera os benefícios de longo prazo do projeto.

VPL

O valor presente líquido (VPL) é uma forma mais sofisticada de avaliar a viabilidade de um projeto. Ele leva em conta o valor temporal do dinheiro e considera todos os fluxos de caixa ao longo da vida do projeto.

Para calcular o VPL, nós precisamos primeiro descontar os fluxos de caixa para seu valor atual. Isto é feito usando uma taxa de desconto. A taxa de desconto é a taxa de retorno que poderia ser obtida em um investimento com risco semelhante

Por exemplo, vamos dizer que estamos considerando um projeto com os seguintes fluxos de caixa:
Ano 0: -R$100,000
Ano 1: R$30,000
Ano 2: R$30,000
Ano 3: R$30,000

Usando uma taxa de desconto de 10%, o valor atual desses fluxos de caixa seria:

Ano 0: -R$100.000
Ano 1: R$27,000
Ano 2: R$24,300
Ano 3: R$21,930

O VPL do projeto é a soma de todos os fluxos de caixa de valor presente. Em nosso exemplo, o VPL seria de R$22.230.

Esse não é um cálculo muito simples, então recomendo se aprofundar em como calculá-lo, ou inserir os valores em uma calculadora.

O VPL é uma maneira mais precisa de avaliar a viabilidade de um projeto do que o simples payback ou o payback com desconto. Ele leva em conta o valor temporal do dinheiro e todos os fluxos de caixa ao longo da vida do projeto.

TIR

A taxa interna de retorno (TIR) é uma medida da rentabilidade de um projeto. É a taxa de desconto que faz com que o VPL de um projeto seja igual a zero.

Por exemplo, digamos que estamos considerando um projeto com os seguintes valores:

Investimento inicial: -R$100,000
Taxa de Desconto: 10%
Fluxos de caixa: R$30.000 por ano durante 3 anos

O VPL do projeto seria:

Ano 0: -R$100.000
Ano 1: R$27,000
Ano 2: R$24,300
Ano 3: R$21,930
VPL = R$22,230

A TIR do projeto é a taxa de desconto que faz com que o VPL seja igual a zero. Em nosso exemplo, a TIR seria de 11,4%. Isto significa que se nós pudermos ganhar um retorno de 11,4% ou mais sobre nosso investimento, o projeto é viável.

Esse também não é um cálculo muito simples, então recomendo esse artigo para calculá-lo, ou inserir os valores em uma calculadora.

A TIR é uma medida mais precisa da rentabilidade de um projeto do que o VPL ou o simples retorno do investimento. Ela leva em conta o valor temporal do dinheiro e todos os fluxos de caixa ao longo da vida do projeto.


Em geral, todos os diferentes métodos de avaliar a viabilidade de um projeto tem seus próprios pontos fortes e fracos.

A melhor maneira de determinar se um projeto vale ou não a pena ser seguido pode ser usar uma combinação de duas ou mais dessas métricas.

Por exemplo, você pode olhar para o período de payback para obter um rápida idéia de quanto tempo levará para recuperar o seu investimento.

Então você pode olhar para o VPL ou TIR para obter uma imagem mais precisa da rentabilidade do projeto.

Não importa qual métrica você use, lembre-se sempre de considerar o risco envolvido em qualquer investimento. Quanto maior o risco, maior o retorno que você precisará para justificar o investimento.

curso de criatividade

Artigo por

Lucas Teles
Lucas é o Head de Inovação da CRIARH. Mas mais importante, ele é o maior apaixonado pela empresa.

Se torne um líder melhor, em minutos

Receba semanalmente passos a passos práticos para ser um melhor líder.
Ao se inscrever você concorda com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.

Curtiu? Mande o artigo para seus amigos!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Tabela de conteúdo
Ao se inscrever você concorda com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.

Outros artigos para você

Cookie
Ao navegar pelo nosso site, você aceita a nossa política de cookies.