fbpx

O que são os pensamentos divergente e convergente

Se você tem um problema e está em busca de uma solução inovadora, os pensamentos divergente e convergente são conceitos chave nessa jornada. Essas abordagens cognitivas foram cunhadas em 1956 pelo psicólogo J.P. Guilford e são opostas, mas podem ser usadas como uma ferramenta para a solução de problemas de forma criativa.

Profissionalmente falando, somos treinados para pensar de forma analítica e racional, assim somos capazes de dissecar problemas, analisar opções, tomar decisões com alta competência, mas não desenvolvemos a nossa capacidade de ter novas ideias.

Desenvolver uma cultura organizacional capaz de permitir os colaboradores ter novas ideias e também serem analíticos e racionais quando necessário é o panorama ideal que empresas devem buscar para maximizar seus resultados.

O pensamento convergente e divergente são partes diferentes de um mesmo processo, e exploram essas diferentes capacidades por conta de suas características únicas.

Pensamento Convergente

O pensamento convergente é linear, analítico e sistemático, resumindo, lógico. Se caracteriza por buscar respostas e eleger ideias como melhores que outras, tornando o processo mais focado.

É como um momento de reflexão, onde você tem várias opções mas precisa parar para pensar qual seria a melhor ideia e tomar uma boa decisão.

Pensamento Divergente

Já o pensamento divergente é associativo, uma das principais características da criatividade. Busca aumentar o número de possibilidades para resolver um problema, ou seja, o número de ideias. Ele é flexível, interativo e aberto para receber novos inputs.

Essa abordagem cognitiva desenvolve seus músculos criativos e nos faz questionar o status quo, afinal, por que não abraçar várias ideias?

O que são os pensamentos convergente e divergente

Um bom processo criativo aborda as duas linhas de pensamento entre atividades práticas que estimulem o pensamento divergente e convergente como um ciclo que se retroalimenta, tornando ambas as linhas de pensamento necessárias para um bom processo de ideação e solução de problemas.

Um exemplo conhecido de exercício que estimula o pensamento divergente é o brainstorming, enquanto fazer protótipos das ideias criadas no brainstorming estimula o pensamento convergente.

O CPS (Creative Problem Solving) e o Design Thinking são exemplos de bons métodos para estimular o pensamento criativo, pois costumam utilizar de forma ativa os pensamentos convergente e divergente como ferramentas em seus processos criativos e exercícios, tornando-os muito mais eficientes e interessantes para os participantes.


Foto por Tachina Lee em Unsplash

Curtiu? Mande o artigo para seus amigos!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Lucas Teles

Lucas Teles

Diretor de Inovação na CRIARH Consultoria e apaixonado pela transformação que a criatividade realiza na mentalidade de pessoas e negócios.

Você também pode gostar

Fique ligado nos
artigos e notícias.

🔒 Não enviaremos spam para você

seja um gestor
mais ágil

Leia agora nosso ebook gratuito das melhores práticas de gestão da metodologia Lean Startup com exemplos fáceis de entender e praticar.