Insights

// Escrito por Lucas Teles

Os Pensamentos Divergente e Convergente Na Criatividade

Pensamentos Divergente e Convergente

Se você tem um problema e está em busca de uma solução inovadora, mas não sabe como começar, os pensamentos divergente e convergente são conceitos chave que vão te ajudar a começar e ter sucesso nessa jornada.

Essas abordagens cognitivas começaram a ser desenvolvidas em 1950 pelo psicólogo J.P. Guilford e são opostas, mas podem ser usadas como duas metades de uma ferramenta de resolução criativa de problemas.

Por isso, processos mais atuais que buscam explicar o pensamento criativo, como o Design Thinking, os utilizam ativamente em seus macrociclos e atividades com o intuito de alcançar soluções não óbvias em problemas complexos.

E o ingrediente chave para fermentar essa receita é a criatividade, a competência humana que nos impulsiona a materializar nossa imaginação.

Assim, os pensamentos divergente e convergente agem sobre a criatividade de cada pessoa, ordenando, simplificando e clarificando cada etapa do pensamento criativo, desmistificando o mito de que o criativo precisa ser caótico, e sendo útil até em problemas mais simples.

Eles são armas muito poderosas para empresas, por aumentar a produtividade através de uma cultura organizacional capaz de aumentar a capacidade de seus colaboradores em:

  1. Serem analíticos e racionais para tomar decisões boas e fundamentadas.
  2. Criar e unir diferentes conceitos para ideias novas e derivadas.


E apesar delas parecerem ser desconexas, não são. Como você já deve imagina
r, ter novas ideias caracteriza uma pessoa criativa. Mas saber tomar boas decisões e escolher as melhores ideias, que dão mais resultados, também faz parte do ser criativo.

Se você busca desenvolver a sua criatividade, que é a competência mais buscada por empresas de qualquer segmento no mundo, de acordo com o LinkedIn, confira tudo sobre os pensamentos divergente e convergente:


Pensamento Divergente

O pensamento divergente é associativo, uma das principais características da criatividade. Ele busca aumentar o número de possibilidades para resolver um problema, ou seja, o número de ideias. Ele é flexível, interativo e aberto para receber novos inputs.

Essa abordagem cognitiva é a mais subdesenvolvida das duas, pois somos constantemente treinados a acreditar que ideias diferentes atrapalham, só geram desconforto e não acrescentam nada no fim das contas.

Em um processo criativo, essa etapa é marcada na descoberta da necessidade dos usuários e no desenvolvimento de opções ao problema encontrado.

O pensamento divergente é o que desenvolve seus músculos criativos, fortalecendo nosso potencial criativo para questionar o status quo, afinal, por que não deveríamos abraçar várias ideias?

Pensamento Convergente

O pensamento convergente é linear, analítico e sistemático, resumindo, lógico. Se caracteriza por buscar respostas e eleger ideias como melhores que outras, tornando o processo mais focado e simples.

Por não facilitar ou simplificar o processo decisório, críticas não construtivas não estimulam o pensamento convergente ideal.

Idealmente, é como um momento de reflexão. Você tem várias opções, mas precisa pensar qual é a melhor e tomar uma boa decisão.

Em um processo criativo, essa etapa é marcada na definição de qual ideia desenvolver e na entrega de um protótipo teste de um produto ou serviço.

Profissionalmente falando, somos mais treinados à pensar de forma analítica e racional, e assim, ser capazes de dissecar problemas, analisar opções e tomar decisões assertivas.

Praticando os Pensamentos Divergente e Convergente no dia-a-dia

pensamentos divergente e convergente

Um bom processo criativo precisa abordar as duas linhas de pensamento. O termo “processo” implica prática, execução, então nada de ficar no mundo da imaginação, hein?

Exercícios que estimulam os pensamentos divergente e convergente são um ciclo que se retroalimenta, tornando ambas as linhas de pensamento necessárias para um bom processo de solução de problemas.

Mesmo que você não perceba, o tempo todo você está divergindo ou convergindo seus pensamentos. Ampliando ou selecionando opções para resolver qualquer tipo de problema, seja escolher sua camisa para ir ao trabalho ou imaginando novas possibilidades para um cliente.

Mas caso você queira resolver um problema um pouco mais complexo em seu trabalho, e precisa ativar cada neurônio seu, alguns exercícios podem te ajudar.

Uma excelente atividade gratuita para ativar o pensamento divergente na fase de desenvolver soluções, é o exercício Estimulando o Pensamento Divergente. Uma ferramenta de ideação, assim como o brainstorming, por exemplo.

Para ativar o pensamento convergente, indico o uso da ferramenta gratuita Perguntas Como Nós Podemos. Ela é especialmente valiosa quando você precisa definir como você vai abordar um problema.

Com essas duas ferramentas, você pode definir a sua abordagem ao problema e depois desenvolver ideias em cima de sua visão.

Assim, os pensamentos divergente e convergente se conectam de forma prática para criar soluções inimagináveis, originais e de valor para um grupo de pessoas, utilizando apenas a criatividade latente dentro de você como combustível.

Foto por Tachina Lee em Unsplash

Curtiu? Mande o artigo para seus amigos!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Você também pode gostar