Você sabe a diferença entre imaginação, criatividade e inovação?

Você sabe a diferença entre imaginação, criatividade e inovação?

Imaginação, criatividade e inovação são essenciais em empresas competitivas, tornando o profissional que detém essas características desenvolvidas muito desejado.

As duas primeiras são muito conhecidas, já a imaginação é pouco citada como característica importante de um profissional. Além disso há uma grande confusão sobre o significado e importância de cada uma. Você sabe diferenciá-las ou utilizá-las?

Imaginação

Primeiro precisamos entender de onde a criatividade surge, e, apesar de óbvio, muitos não internalizaram isso. A imaginação é a fonte da criatividade, e ambas são coisas diferentes.

De acordo com Sir Ken Robinson, referência global em criatividade e dono do TED mais assistido da história, imaginação é a capacidade de trazer a mente elementos que não estão presentes em nossos sentidos – podemos imaginar coisas que existem, ou que sejam inexistentes.

Assim, podemos dividir a imaginação em duas funções, imaginária e imaginativa.

A função imaginária vem de experiências concretas, enquanto a função imaginativa vêm de possibilidades compostas em sua mente e não são armazenadas por experiências.

Ou seja, imaginar uma girafa ou seus pais, é função imaginária. Na outra mão, imaginar um elefante rosa equilibrado em um monociclo enquanto atravessa uma corda bamba, é função imaginativa.

A imaginação nos permite fugir do presente, rever o passado, antecipar futuros e se colocar no lugar do outro. Ela nos liberta e dá a possibilidade de transformar nossas vidas. Assim, a imaginação é interna de nossa consciência.

Criatividade

Costumo ressaltar que criatividade é um processo, ser criativo envolve fazer algo. Pessoas não são criativas de maneira abstrata, mas em dimensões específicas do seu repertório de conhecimento.

De forma generalista, a criatividade é a imaginação posta em prática. De forma mais específica, podemos definir criatividade como o processo de criar ideias originais e de valor.

Insights criativos nascem majoritariamente do comportamento de associação, criar conexões “loucas” que criam novas analogias entre ideias não combinadas anteriormente. Arthur Koestler aprofunda um pouco mais esse processo e o define como dupla associação, a junção de ideias de diferentes áreas normalmente não correlacionadas.

Logo podemos concluir que o pensamento criativo é diversificado e dinâmico, e busca derrubar limites entre estruturas das diferentes referências. Ou seja, para ser criativo, é preciso derrubar bloqueios mentais quanto ao que deve ou não ser combinado em uma ideia, para então utilizar todo o seu repertório de conhecimento de diferentes dimensões para criar algo.

A forma principal para superar esses bloqueios mentais é através do desenvolvimento da autoconfiança.

Inovação

Já a inovação é o processo de concretização de novas ideias, apresentando algo novo ou incrementado (ou os dois). É a criatividade colocada em prática, ou seja, é impossível algo ser inovador sem ser criativo antes.

Perceba que cito inovação e criatividade como processos, pois ambas exigem ação.

Silvio Meira costuma dizer que inovação é a emissão de mais e melhores notas fiscais.

Isso porque a inovação se aproxima das pessoas através de melhorias ou criação de produtos ou serviços no mercado, como smartphones, cadeiras, vergalhões, atendimento em delivery, qualquer alteração benéfica pode ser inovadora, visto que inovação traduz a originalidade e valor da ideia criativa em notas fiscais.

Assim como a imaginação, a inovação se divide em alguns tipos, mas como é um assunto muito extenso, fica para outro artigo que será disponibilizado aqui.

Empresas devem estar em constante necessidade para serem mais inovadoras, pois em um cenário competitivo, produtos e serviços estão em constante criação e melhoria, na busca por criar ou renovar mercados e conseguir uma parcela maior de mercado.

Conclusão

Se utilizando da imaginação, criatividade e inovação você se torna em um profissional essencial e atual, tornando-o um verdadeiro inconformista, capaz de antecipar tendências, evitar o pensamento de grupo e transformar a sua vida e a da sua empresa.

Desenvolvendo e aplicando essas características, nós temos a chance de entrar no hall dos grandes inovadores do mundo como Thomas Edison, Steve Jobs e Elon Musk. E mesmo que menos famosos podemos fazer grande diferença local.


Foto por Rick Mason em Unsplash

Curtiu? Mande o artigo para seus amigos!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Lucas Teles

Lucas Teles

Diretor de Inovação na CRIARH Consultoria e apaixonado por inovação.

Você também pode gostar

Novidades

Fique ligado nos
artigos e notícias.

🔒 Não enviaremos spam para você